Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘herança’

Ser empregado significa “vender” para um único cliente (a empresa que nos emprega) nosso esforço pessoal, nossas habilidades, nossos conhecimentos. Pelo tempo que este “cliente” se interessar.

Necessariamente este “cliente” deve se beneficiar dos nossos serviços em escala maior do que paga. Tão logo haja alternativas mais vantajosas, a tendência é de desfazer-se do empregado, seja por alternativas da inovação tecnológica seja por mão de obra mais jovem, mais barata. É o efeito da competição. Cada negócio precisa manter-se competitivo.

Conseguir se manter em um bom emprego, nos dias de hoje, significa manter-se tão competitivo quanto as exigências do empregador. Mesmo assim, existirá um limite. No final, a grande maioria das pessoas tem que enfrentar a rejeição do mercado e chega-se à aposentadoria. Juntar patrimônio como empregado é coisa para poucos. Sobram, em termos de renda, o benefício da aposentadoria pública, ou tem que partir desde cedo para um sacrifício a mais, para um complemento de aposentadoria.

De qualquer forma, aquilo que se construiu por toda a vida em torno do emprego, é absolutamente dependente de cada um de nós. É dependente de nossa vida ativa. Evapora, termina, se extingue quando não temos mais o emprego.

Nosso emprego não é herança para nossa família. Morre com a gente. A família não pode herdar nosso emprego, se a pessoa tiver conseguido desenvolver algum patrimônio, este fica, mas o emprego não..

Justamente esta talvez seja a mais importante característica do negócio próprio: a família sempre poderá ter uma opção a mais que é continuar com o negócio que você tenha desenvolvido, mas nunca poderá continuar com o seu emprego. Emprego é pessoal e intransferível. É um risco familiar que muitos não estão dispostos a aceitar. E você?

Há chances de conseguir o primeiro milhão com um negócio próprio. Com o emprego você vai conseguir? Leia mais e comente no blog Ágil + Frágil.

Anúncios

Read Full Post »